VIAGRA :P – Você REALMENTE CONHECE?

Muito se tem falado sobre o viagra ( a famosa “Vitamina V”, “pílula azul”, entre outros nomes), usado no tratamento da disfunção erétil no homem ( impotência sexual).

Mas será que todos de fato sabem o que é e como funciona o viagra?

História

 

O citrato de sildenafila foi sintetizada por um pesquisadores do grupo Pfizer, nos Estados Unidos. A droga foi patenteada em 1996, e aprovada para uso na disfunção erétil pela Food and Drug Administration (FDA) em 27 de Março de 1998, tornando-se a primeira pílula a ser aprovada nos Estados Unidos para o tratamento das disfunções eréteis, sendo oferecida para venda um ano depois. Rapidamente ela se tornou um grande sucesso: as vendas anuais de Viagra no período de 1999–2001 excederam 1 bilhão de dólares.

Além de ser vendida sob os nome de Viagra,  a sildenafila é também vendida sob o nome de Revatio (usado no tratamento da hipertensão arterial pulmonar).

No Brasil o Viagra genérico não é comercialmente legalizado. No dia 25 de abril de 2007, a Pfizer obteve uma liminar que impediu a empresa farmacêutica Pharma Nostra de importar, fabricar, usar, comercializar ou oferecer à venda, o composto citrato de sildenafila, princípio ativo do medicamento. A empresa Pharma Nostra, fornecedora de matéria-prima para farmácias de manipulação, foi acusada pela Pfizer de violação dos direitos de patente e de oferecer a medicação em doses superiores (acima de 100mg) às recomendadas. Neste julgamento, a Pfizer comprovou a titularidade da patente de sua invenção, com vigência no Brasil até 2010, contando assim com a proteção da lei de propriedade industrial.

Mecanismo de ação

O processo fisiológico da ereção envolve dois compostos: óxido nítrico (NO) e guanosina monofosfato cíclico (GMPc).

O sistema nervoso parassimpático libera NO no corpo cavernoso do pênis, o qual liga-se aos receptores da enzima guanilato ciclase o que aumenta os níveis da GMPc, resultando num influxo maior de sangue, que é a causa da ereção.

A fosfodiesterase tipo 5 (PDE5)  é responsável pela degradação do GMPc no corpo cavernoso do pênis. O sildenafila é um potente inibidor seletivo da PDE5: ela possui estrutura molecular do sildenafila é semelhante à do GMPc. Com mais GMPc disponível e, graças à vasodilatação que ele gera, ereções melhores.

Sem o estímulo sexual, e conseqüentemente deficiência da ativação do sistema NO/GMPc, o sildenafila não causa ereção. Outros medicamentos que funcionam através deste mesmo mecanismo incluem a tadalafila (Cialis®) e a vardenafila (Levitra®).

O sildenafila é metabolizada por enzimas hepáticas e excretada pelo fígado e rins. Se administrada em conjunto com uma refeição de alta taxa de gordura, pode haver um atraso na absorção do sildenafila e o efeito máximo pode ser ligeiramente reduzido, já que a concentração do plasma sanguíneo será diminuída.

Administração e dosagem

Assim como todas as drogas prescritas, a dosagem adequada está descrita na receita médica. A dose de sildenafila é de 25 mg a 100 mg e é tomado por via oral uma vez por dia de 30 minutos a 4 horas antes da relação sexual.

Geralmente é recomendado iniciar com uma dosagem de 50mg e depois diminuir ou aumentar a dosagem conforme o apropriado.

Pílulas de viagra são azuis e possuem uma forma losangular com as palavras “Pfizer” em um dos lados, e “VGR xx” (xx referindo-se ao número “25”, “50” ou “100”, a dose da pílula em miligramas) do outro.

Contra-indicações

As contra-indicações incluem:

  • Quando administrado junto com medicamentos que doem óxido nítrico, nitritos e nitratos orgânicos, como a nitroglicerina (trinitrato de glicerina), nitroprussiato de sódio, nitrito de amila
  • Em homens para os quais a relação sexual não é recomendável devido aos fatores de risco cardiovascular
  • Insuficiência hepática severa (função do fígado diminuída)
  • Insuficiência renal severa
  • Hipotensão (baixa pressão sanguínea)
  • Pessoas que sofreram um AVC recentemente ou ataque cardíaco
  • Desordens retinais degenerativas hereditárias (incluindo desordens genéticas das fosfodiesterases retinais)

Efeitos colaterais

  • Se a ereção durar mais de 4 horas contínuas, pode surgir priapismo – uma condição dolorosa que, sem tratamento médico imediato, pode levar a danos irreversíveis.
  • Torna mais provável o enfarte do miocárdio e o AVC
  • Dores de cabeça
  • Palpitações
  • Distúrbios visuais
  • Arritmias cardíacas

Uso não-médico

Afrodisíaco

Embora não haja evidências clínicas de que ele tenha uma atividade afrodisíaca, muitas pessoas parecem acreditar que ele irá melhorar o desempenho sexual assim como a função erétil, melhorando a experiência sexual.

Uso recreacional

Alguns usuários misturam o Viagra com metilenodioximetanfetamina (MDMA, mais conhecido como ecstasy) numa tentativa de compensar os efeitos colaterais comuns de muitas anfetaminas de disfunção erétil, uma combinação conhecida como “sextasy“.

Prevenção do murchamento das plantas

Uma solução de pequena concentração de sildenafila na água prolonga significativamente o tempo que as flores levam para murchar; um experimento mostrou que este tempo dobrou, passando de uma semana para duas semanas. O mecanismo de ação é semelhante ao dos humanos: o óxido nítrico leva à produção de cGMP cuja degradação realizada pelo PDE5 é inibida pela sildenafila.

Descoberta Recente

Cura de “jet lag”

Um estudo argentino desenvolvido na Universidade de Quilmes, em Buenos Aires, cujas conclusões foram publicadas em artigo na edição online do Proceedings of American Academy of Sciences  concluiu que o Viagra  poderá servir também para minimizar os efeitos do jet lag e para recuperar a disposição de profissionais que dormem em horários irregulares, por causa do trabalho em regime de plantão.

Jet lag é o nome dado ao desconforto que é sentido quando você faz viagens mais longas, com mudança de fuso horário. Os sintomas mais comuns são sonolência, falta de atenção, irritabilidade e alterações do hábito intestinal.

As mudanças ocorrem porque o corpo está acostumado ao horário das refeições e de dormir, por exemplo, que são alterados.

A experiência foi feita com hamsters machos: os cientistas injetaram na metade dos bichinhos uma pequena quantidade de Viagra, administraram placebo nos outros e apagaram as luzes seis horas mais tarde do que o habitual, simulando o tempo de uma viagem de avião dos EUA para a Europa.

Resultado: os hamsters que tomaram Viagra se adaptaram melhor à mudança de horário e começaram a fazer seus exercícios habituais nos equipamentos das gaiolas mais rapidamente – e com mais disposição – do que os outros.

A dose naturalmente será mais baixa do que a recomendada para disfunção erétil

Mesmo com uma dose bem baixa os ratinhos se recuperavam da noite em claro mais rapidamente que os que tomaram placebo.

Segundo os cientistas argentinos, se novas pesquisas comprovarem esse benefício, seria possível chegar a uma dose segura que tivesse os efeitos benéficos para regular o relógio circadiano sem interferir na ereção.

Fontes :

http://pt.wikipedia.org/wiki/Viagra

http://www.jblog.com.br/vital.php?itemid=3021

http://www1.folha.uol.com.br/folha/turismo/preparese/jet_lag.shtml

Uma resposta

  1. Por nada não, mas gostei deste meu post😛

    Achei q ficou legal, e aprendi mta coisa😀

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: