Pirataria nos olhos dos outros é pimenta…

A vida é maneira. Volta e meia vamos ao chopiscentis ver um filme e tal, depois que a gente desce dos andjaimes. Temos todo o direito a isso. Entretanto:

Entrada do cinema = R$15,00 (se você não for estudante)

Big Mac = R$10,40 (se não for mais)

Total = 25,40

Uma ida ao cinema, tirando dinheiro da passagem ou gasolina + estacionamento = no mínimo 6% de um salário mínimo

5 cds piratas em SP = 10,00 (e vc pode ter 5 sessões de cinema em casa 🙂 )

Salário Mínimo = 415,00

Saber que fulanito de tal viu a versão pirata do “Tropa de Elite” no aerotuta = não tem preço.

Para todo o resto tem aí o Saddam e Bin Laden prá animar.

(O Cabral, do RJ, diz que não viu http://oglobo.globo.com/cultura/mat/2007/09/04/297582927.asp)

(Contrib da Espoleta)

Uma resposta

  1. Eu partilho a opinião do Gilberto Gil sobre a questão da pirataria. O que eu não defendo, porém, é seu uso indiscriminado. Enquanto o modelo de distribuição de conteúdo permanecer no passado, esse entrave continuará existindo.

    Como alimento para reflexão, fica a experiência do Nine Inch Nails que oferece seu futuro CD de forma direta, sem intermediários. Cobrando um preço mais acessível, os usuários não infringiram nenhuma lei para obter músicas com máxima qualidade (a distribuição foi feita com melhor bitrate), a sobrevivência do grupo continuará existindo e todos ganharam.

    O outro extremo, onde todos pirateiam conteúdo, é apenas destrutivo para todas partes envolvidas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: