II Encontro Brasileiro de Pessoas que Gaguejam

Estão abertas as inscrições para o II Encontro de Pessoas que gaguejam, promovido pela Associação Brasileira de Gagueira (Abra Gagueira) em parceria com a Universidade Veiga de Almeida (UVA). O evento acontecerá dia 5 de agosto de 2009, das 8h às 16h, no Campus Tijuca da UVA. As inscrições são gratuitas e já podem ser feitas através do site www.abragagueira.org.br. O encontro é aberto para familiares, profissionais e estudantes da área.

Para essa segunda edição, o objetivo é criar um espaço para discussão sobre os recentes estudos relacionados à gagueira, além de proporcionar uma maior troca de experiências entre as pessoas que convivem com o problema. Além disso, o evento ainda conta com a presença de palestrantes internacionais, como é o caso do renomado psiquiatra americano, Dr. Gerald Maguire, pesquisador responsável pelo Pagoclone – medicamento usado no tratamento da gagueira e do presidente da International Stuttering Association (ISA), Benny Ravid, de Israel.

Os participantes conhecerão como a formação dos grupos de apoio em diversos estados do país está ajudando e contribuindo para uma melhor qualidade de vida das pessoas que gaguejam. “Essas reuniões são uma excelente ferramenta de ajuda para as pessoas com gagueira. Apresentamos no I Encontro Brasileiro de Pessoas que Gaguejam, realizado em 2008, vários e ricos depoimentos de integrantes que passaram a freqüentar esses espaços”, comemorou a vice-presidente da Abra Gagueira, Eliane Regina Carrasco.

A fonoaudióloga ainda destaca que a divulgação dos encontros, mês a mês, em listas de discussão pela internet tem provocado curiosidade e interesse em diversas pessoas, dos mais variados locais do país, fazendo com que tomem conhecimento da existência desse tipo de auxilio. “Outro ponto que também ajuda no surgimento de novos grupos é o fato das pessoas poderem contar com o apoio e orientação da Abra Gagueira. Isso traz segurança e incentivo”, complementou Eliane.

Líderes de associações de gagueira de outros países estarão presentes ao encontro. Eles vão compartilhar as suas experiências, sucessos e desafios. O presidente da ISA, Benny Ravid, de Israel, fará uma apresentação onde mostrará o trabalho que vem sendo desenvolvido nas associações de pessoas que gaguejam pelo mundo. “Será muito interessante, pois vai contribuir para a discussão dos novos rumos da Abra Gagueira”, explicou Daniela Verônica Zackiewicz, presidente da Abra Gagueira.

Assim como aconteceu no I Encontro, haverá um espaço privilegiado para os depoimentos e experiências pessoais. “Participar de um evento como esse para mim foi uma experiência única, cheia de emoções e bastante motivadora. Como também tenho gagueira, fiquei muito feliz em saber que existem pessoas que se importam com a nossa patologia e estão do nosso lado nesta luta diária”, resumiu H.F.C, de 34 anos.

O evento conta com o apoio do Comitê de Fluência da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia e patrocínio da Microsom.

CONGRESSO MUNDIAL DE FLUÊNCIA
O II Encontro Brasileiro de Pessoas que Gaguejam antecede o 6º Congresso Mundial de Fluência, promovido pela International Fluency Association, que também será realizado na UVA, de 5 a 8 de agosto. O evento contará com a participação dos maiores pesquisadores do mundo em gagueira. É considerado um dos congressos mais importantes sobre o assunto no mundo. Contato pelo www.theifa.org

Programação*

8h – abertura
9h – Speech Easy – experiência pessoal
9h30 – Medicamentos para a gagueira – experiência pessoal
10h – Coffee Break
10h30 – Aspectos jurídicos da gagueira
11h – Espaço aberto para depoimentos
12h30 às 14h – Almoço
14h – Trabalho das associações de pessoas que gaguejam pelo mundo*
15h30 – Encerramento

*O II Encontro Brasileiro de Pessoas que Gaguejam terá tradução simultânea.

Serviço:
Evento: II Encontro Brasileiro de Pessoas que Gaguejam
Dia: 5 de agosto de 2009-06-30
Horário: Das 8h às 16h
Local: Auditório da Universidade Veiga de Almeida – Campus Tijuca, que fica localizado na Rua Ibituruna, 108, Tijuca / Rio de Janeiro

9 Respostas

  1. Está aí uma matéria que qualquer comentário pode parecer gozação.
    Eu sinceramente acho que esses encontros internacionais e mega-eventos e submicrodivisões sociais parecem um pouco exagerados. Em particular, fonoaudiólogos e terapias em grupo (não necessariamente só com gagos) devem resolver.

    Caso a minha cara vá um dia a uma dessas associações, cegos, surdos, favelados ou qualquer outra, verá que trata-se de mais uma maneira de empregar gente e de ter um burocrata por trás que nada resolve. Eu até concordo que as associações ajudem mas, na minha cabeça, esses servços deveriam ser feitos para CIDADÃOS e não dados como esmolas (ou com um 5% de esmola, que seja, e com um ad na esmola). Pense que a Campanha do Dia Nacional dos Diabetes (ou similar) poderia ser levada dia a dia, não na forma de campanha mas com o atendimento adequado e público (e decente) do cidadão que PAGOU pelo serviço por toda a vida.

    Fun time

    Idéias que passaram na minha cabeça:
    – o I Encontro Mundial dos Sem-Um-Dedo, com depoimentos e etc de famosos. Como ascenderm na vida tirando proveito da falta, as dificuldades no lavabo e a interferência no bater de palmas.
    – num mundo onde cada vez mais se preza o falar (pseudo) politicamente correto, a palavra é mesmo gago? Tipo que cegos são deficientes visuais e outras coisas que eu ouvi. Caso haja algum termo nessa toada do polititicamente correto, ficaria mais fácil ou mais difícil procurar produtos/serviços específicos para uma necessidade pelos buscadores da rede? sigh

    Well! Tinha mais alguns pensamentos mas deixe para lá.

    E modifique o endereço eletrônico que postou para evitar os spam bots.

    • Er…em momento algum existe a palavra gago no texto… Existem sim pessoas que não se dizem gagas, neste encontro pode até ser que eles se assumam, mas normalmente se auto-intitulam: dificuldade na fala, gaguejo de vez em quando, eu gagueijo. Gago? Nunca, palavra feia pra se assumir né?

      Você sabe o que é gagueira? Pode procurar em alguns sites por aí.

      Não é tratada como deficiência. Deveria? Não sei, é algo a se discutir.

      Você conhece algum gago? Diga para ele procurar a ABRA Gagueira.

      Esmola?? Hmmm não sei do que vc tá falando

      De que mega evento vc está falando? O II Encontro de Pessoas que Gaguejam simplesmente é o II Encontro de Pessoas.

      • Gago, gagueira e afins são palavras que tem a mesma raiz, um mesmo radical (gag-), de origem onomatopéica. Provavelmente o que ocorre também em inglês, stuttering, stutter (radical stut-).

        Quanto à palavra ser feia ou não, feio é o que as pessoas definem como tal: não vejo nada de feio em uma palavra que condensa uma idéia. Feio é idiotas que nada tem para fazer reinventarem um termo que é exato, termo este cujo sentido foi modificado pela necessidade que a sociedade tem de expressar a sua ignorância.
        Lembre-se que sexo já foi uma palavra “feia” e veado teve o sentido apropriado. São palavras da língua que contém a idéia exata e mudam consoante o contexto que são utilizadas. Ou você sugere que evitemos falar o verbo ‘sentar’ porque ele possa significar outra coisa?

        Do burocrata: não fique você pensando que as ongs neste país são aquela coisa maravilhosa. Eu, no meu pensar infantil, se fizesse parte de uma ong que prestasse um serviço assistencial, faria todo o possível para que a minha presença passasse desapercebida. Acho que os serviços assistenciais devem ser fornecidos por anônimos que lá estão apenas para atender cidadãos.
        Ao cidadão (com letras maiúsculas) que necessita devem-se fornecer todos os préstimos cabíveis sem que haja cobrança na moeda ‘humilhação’. A humilhação vem nas esperas infinitas, na insistência que a ONG (ou .org, whatever) tem de fornecer alguns produtos com a sua logomarca estampada em letras garrafais.
        Nada tenho contra as ONGs e acho que a maioria delas realmente não estão aí para promover os seus integrantes e/ou produtos de seus integrantes e afins. Não creio ser o caso da http://www.theifa.org.

        De qualquer modo, a simples presença da ONG na sociedade mostra como a sociedade não está preparada para lidar com os indivíduos, os mesmos que pagam os tributos que todos pagam. Nesse sentido, a simples presença da ONG é consequencia de uma distorção e, por conseguinte, uma distorção per se.

        Disfunção gera deficiência: No caso da gagueira, deve ser simplesmente uma disfunção neural. E a deficiência está no fato da pessoa não conseguir expressar-se segundo o normal esperado. Apesar disso, se realmente a disfunção não estiver associada a outros problemas neurológicos que o indivíduo possa ter, não creio que um gago deva ser aposentado por isso (embora a sociedade ache natural afastar um indivíduo por estresse por dois anos ou mais).

        E, para finalizar, conheci poucos gagos na minha vida. Ou conheci muitos e eles trataram-se de modo a que sua deficiência/disfunção/whatever passasse desapercebida. Eu conheço vários deficientes e creio que as grandes armas que todos temos chamam-se brio e educação. Claro que, no mundo onde cada vez mais o indivíduo tende a ser subvalorizado, esses dois produtos andam muito em falta. E esses dois produtos andam bem em falta, curiosamente, no mundo cada vez mais tecnológico e com mais profissionais capazes.

        Creio ter tirado as suas dúvidas.

      • Não sei o porquê eu perco meu tempo respondendo aos seus comentários ranzinzas L. Beijo beijo.

      • Feio é ser ignorante e pensar que isso é normal.
        Feio é ser medíocre, acreditar que todos sejam, e querer que todos passem a ser.
        Isso sim é a definição de feio.

  2. onde está escrito
    “Em particular, fonoaudiólogos e terapias em grupo (não necessariamente só com gagos) devem resolver.”
    entenda-se
    “Em particular, fonoaudiólogos/MÉDICOS e terapias em grupo (não necessariamente só com gagos) devem resolver.”

    • Terapias e fonoaudiólogos só resolvem pequenos distúrbios da fala, normais, em crianças. Médicos, nem têm noção do assunto. Para gagos reais, não há tratamento ainda. Quem escreve é um que frequentou muitos consultórios.

  3. Uma boa técnica para lutar contra o gagueijo e o insucesso escolar entre outros no site:

    http://www.fosfenicas.com

    Cordialmente
    Emilia G.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: